quarta-feira, 16 de junho de 2010

Passeio á “Gruta do Padre”, passando pela ribeira dos Maloás e vigia da Baleia (Malbusca-Santa Maria)

O primeiro local visitado durante este passeio foi a Ribeira dos Maloás em Malbusca, onde existe um espectacular afloramento de disjunções prismáticas, ou colunares em forma de hexágonos, que é provocado pelo lento arrefecimento de uma grande massa de lava basáltica, resultante de uma erupção vulcânica na zona da malbusca ou arredores. Estas disjunções prismáticas também são conhecidas por “calçada de gigantes” e esta é a única em Santa Maria com estas dimensões e uma das mais belas dos Açores. Com cerca de 12 metros de altura (medido a olho).









Durante o Passeio a paragem seguinte foi a vigia da Baleia que se situa no cimo do monte, uns metros depois da ribeira dos maloás. Desta zona podemos avistar toda a costa sul da ilha de Santa Maria, E desfrutar de uma paisagem espectacular.









Continuando a caminhada em busca da Gruta que se encontra na encosta da “rocha branca”, localizada a entre a “rocha do Sul” e a “Praia Formosa” mais quilómetro menos quilómetro.
Deparámo-nos com um descida um bocado complicada, na qual não foi possível tirar fotos. Mas reparamos que a "rocha branca" na realidade é Preta com alguns filões de rocha clara, que provávelmente deram o nome a esta rocha.
Quando finalmente chegamos á dita cuja, deparámo-nos com uma gruta com cerca de 6 metros de profundidade por 4 de largura e 1,70 de altura, que dá a ideia que se tenha formado pela acumulação de gases no interior da lava de um vulcão, porque tem a forma de bolha com paredes lisas.











Para finalizar só faltava subir a rocha, o que se mostrou mais fácil do que desce-la, mas mesmo assim requer algum cuidado e sangue frio.

















No final da subida já era quase de noite... mas valeu a pena.




Não conseguimos encontrar registos desta gruta, por isso não sabemos se possuí nome próprio, mas sabemos que foi apelidada á muitos anos de “gruta do Padre” pelas pessoas da freguesia local.
A gruta recebeu este nome, devido a uma lenda que conta a história de um padre que esteve desaparecido vários dias, e que durante esse tempo foi viver para esta gruta. Ainda estamos a tentar descobrir mais pormenores da história. Mas durante a descida conseguimos deduzir que o padre não batia bem da cabeça, porque ninguém no seu perfeito juízo ia viver para um sítio com um acesso tão complicado.


(Fotos cedidas por Luís Leonardo)

3 comentários:

  1. em locais com menos luminosidade deixar o obturador aberto 4,6 segundos, sem flash e MUUITO QUIETINHO costuma resolver a maior parte dos problemas.(dependendo da quantidade de luz neh)

    ResponderEliminar
  2. Tens toda a razão Steven, mas quando se tira fotos com um LG KU990 Viewty Lite essa teoria cai por terra! Aproveito para agradecer ao luís por ter tirado as fotos.

    ResponderEliminar
  3. fixe, temos k descobrir é + grutas em sao miguel

    ResponderEliminar